08

BRASIL BIOMASSA

PRODUÇÃO DE BRIQUETE

Soluções de aproveitamento da biomassa florestal, industrial e agroindustrial em briquete.  A Brasil Biomassa desenvolve uma série de projetos industriais de aproveitamento da biomassa florestal, industrial e agroindustrial em briquete. A Brasil Biomassa é especializada em todas as etapas de um projeto de implantação de uma unidade industrial de aproveitamento da biomassa para co-geração de energia,  torrefação da biomassa energética e a produção de briquete e pellets, atuando desde os estudos de viabilidade econômica  e planejamento estratégico do plano estrutural de negócios, engenharia básica industrial e licenciamento ambiental, mapeamento das fontes de fornecimento de matéria-prima e o estudo logístico  até o  gerenciamento completo de sua implementação com o uso dos equipamentos industriais produzidos no Brasil e testes pré-operacionais no Brasil e exterior para a certificação do produto e o desenvolvimento do plano de marketing para a venda de produção industrial ao mercado nacional e internacional.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No ano de 2009 a Brasil Biomassa foi contratada pelo grupo financeiro BMG para o desenvolvimento de três projetos industriais.   O primeiro projeto visava a implantação de uma unidade industrial de produção de briquete com capacidade de 84.000 ton. por ano na região próxima ao Porto de Imbituba SC. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O segundo projeto para grupo financeiro BMG para o aproveitamento dos resíduos de babaçu no estado do Piauí na produção sustentável do biobriquete com capacidade de 40.000 ton. por ano. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Brasil Biomassa desenvolveu o terceiro projeto envolvendo os resíduos de casca de cacau na Costa do Marfim para a produção sustentável do biobriquete de cacau.    O projeto visava a implantação de uma unidade industrial na Costa do Marfim de produção de biobriquete com capacidade de 60.000 ton. por ano.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Recentemente desenvolvemos uma série de avaliação técnica e industrial de produção de briquetes com resíduos de movelaria e compensado (aproveitamento de passivo ambiental) devido ao descarte inadequado de resíduos sólidos, especialmente de madeira e seus derivados (painéis de aglomerados, MDF e compensados), representando mais de 90 % do total de resíduos gerados.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Briquete é uma lenha ecológica (reciclada) que é resultado do processo de secagem e prensagem de serragem ou pó dos mais diversos tipos de madeira e de resíduos florestais e industriais. É fabricado através do processo de compactação mecânica e não tem nenhum componente químico ou aglutinante no processo. Os briquetes são blocos cilíndricos ou poligonais de biomassa compactada com volumes geralmente variáveis entre 0,8 cm3 e 30 cm3 cada, e que podem substituir a lenha em instalações que utilizam esta como fonte energética (uso industrial). O processo pode ser dividido em quatro etapas: alimentação ou preparação; mistura; compressão e tratamento térmico.


A briquetagem de biomassa é uma prática muito antiga e uma das diversas técnicas que em termos gerais são classificadas como tecnologia de compactação.  O processo de briquetagem consiste na aplicação de pressão em uma massa de partículas dispersas com objetivo de torná-las um sólido geométrico compacto de alta densidade.

 

O Wood Briquete é o combustível sólido mais limpo.  A combustão é muito mais eficiente e liberta muito menos fumaça que a lenha normal. Isto é devido ao baixo teor de umidade do briquete, resultado do tratamento industrial de compactação.  O seu tamanho permite dosear unidade a unidade a quantidade que vai ser queimada para produção de energia. Uma tonelada de briquete produz sensivelmente a mesma energia que uma tonelada e meia de madeira. Assim sendo, o briquete de madeira ocupam muito menos espaço de armazenamento e de transporte.


Redução da dependência energética. Em relação aos combustíveis fósseis como o gás e o petróleo representa um ponto muito importante, devido ao crescente aumento dos preços destes combustíveis e à diminuição das suas reservas. A matéria-prima para a produção de briquete apresenta uma grande disponibilidade e versatilidade. A matéria-prima pode ser proveniente de diversas fontes: resíduos florestais, industriais ou agrícolas e de plantações energéticas. Redução dos riscos de incêndios florestais.
Tem as seguintes vantagens: O Briquete é o combustível sólido mais limpo que existe no mercado.

 

Devido às caldeiras de combustão altamente eficiente desenvolvidas ao longo dos últimos anos, a emissão de compostos químicos, como óxidos de nitrogênio (NOX), ou compostos orgânicos voláteis, é muito reduzida, o que torna o Briquete uma das formas de aquecimento menos poluente disponíveis atualmente no mercado. Devido ao tratamento na sua transformação, a umidade do Briquete é extremamente reduzida, o que permite que a combustão seja muito mais eficiente e liberte muito menos CO2.  Além disso, o seu tamanho permite dosear unidade a unidade a quantidade que vai ser queimada para produção de energia.  Não é necessário cortar árvores para a produção de Briquete, porque a matéria-prima que utiliza é o resíduo florestal.
Como a sua matéria-prima que utiliza são subprodutos da indústria e resíduos florestais , o preço dos Briquete  tem um custo menor do que os preços de outros tipos de combustíveis. Como conseqüência, os Briquetes reduzem a nossa dependência energética em relação ao gás e ao petróleo.

 

O Briquete é uma forma sustentável de energia. O uso da matéria-prima necessária para a produção do Briquete tem como conseqüência a limpeza dos resíduos florestais, o que, por sua vez, contribui para uma grande redução do risco de incêndios e queimadas. O Briquete é diferenciado no mercado. Poder calorífico competitivo (substituto potencial do petróleo, gás natural). Flexibilidade de movimentação e automação.O armazenamento do  Briquete é mais seguro, porque não possuem os riscos associados ao gás e o petróleo e não há fugas nem perigo de explosão. O  Briquete é um combustível limpo, natural, renovável e amigo do ambiente; assim sendo, estão previstos benefícios fiscais para a produção e exportação de Briquete. O processo de produção da Briquete pode ser dividido em quatro etapas: alimentação ou preparação; mistura; compressão e tratamento térmico.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Preparação. Consiste na determinação das características de compactação do material a ser briquetado e do tipo de equipamento que deve ser utilizado, para facilitar a adesão das partículas finas. A determinação das propriedades do material permite conhecer não só o valor máximo da pressão a ser aplicada, como também a taxa de compactação requerida pelo material. O conhecimento do coeficiente de atrito do material permite gerar uma previsão do comportamento do mesmo, no momento da saída dos rolos e, também, se a superfície dos briquetes úmidos poderá ser ou não danificada durante a queda.  A quantidade de aglutinante ou ligante necessária à produção de briquetes com boa resistência mecânica depende, entre outros fatores, da qualidade do material a ser briquetado e do próprio aglutinante.

 

Mistura. A mistura dos reagentes é uma das etapas mais importantes da briquetagem. É de fundamental importância que o aglutinante seja distribuído uniformemente por toda superfície do material a ser briquetado.  O misturador deverá ser dimensionado de modo que o tempo de residência da mistura no equipamento não seja elevado. Quando há necessidade de tratamento térmico da mistura, o mesmo pode ser realizado no próprio equipamento por meio da aplicação de vapores saturados ou superaquecidos. A mistura deve apresentar uma temperatura entre 85-90ºC na prensa e uma umidade de 3% ± 1%. Caso a mistura não seja suficientemente seca no condicionador entre o misturador e a prensa, os gases (na maioria das vezes, vapor d'água) presos nos briquetes sofrem uma forte compressão.  Quando os briquetes deixarem a prensa e a pressão for relaxada, os gases expandem, causando fraturas no briquete.  No manuseio de materiais com pequena densidade aparente, torna-se necessária a remoção dos grandes volumes de ar antes da alimentação do material na unidade de compactação.

Pré-Compactação. Tem a finalidade de diminuir o volume e conduzir os resíduos até a câmara de alimentação, onde serão compactados pelo pistão.

 

Compactação. A compressão do material se dá no espaço existente entre os dois rolos que, montados um diante do outro, giram com velocidade de rotação igual e em sentidos contrários.  A pressão exercida sobre o material cresce de forma progressiva ao longo do segmento do rolo, a partir do ponto em que se inicia a ação da força de compressão sobre o material, atingindo o seu valor máximo no ponto de menor distância entre os rolos, caindo de forma abrupta até a liberação e saída do aglomerado.

BRIQUETE

Av. Cândido Hartmann 570 24-243| Curitiba  PR| diretoria@brasilbiomassa.com.br | Tel:41-33352284 | Cel:41 9 96473481

© 2023 by BRASIL BIOMASSA E ENERGIA RENOVÁVEL

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon
  • White Twitter Icon
  • White Vimeo Icon